hospedagem4

Adaptação de um animal em um novo lar

Toda a adaptação de um animal em Novo Lar depende da combinação do perfil desse animal e do perfil dos Novos Donos (A Nova Família).

Em se tratando de cães e gatos essa combinação; esse “casamento” deve ser realizado da melhor maneira possível para garantir excelente qualidade de vida aos animais e a inserção positiva desse animal nesse ambiente familiar. Devido à grande intensidade de participação desses “Pets” na vida cotidiana de seus proprietários (característica do Mundo Atual), essa adaptação torna-se então, fundamental.

No caso de filhotes essa adaptação se mostra mais fácil, pois esses animais estão em fase de aprendizado; de moldar suas características (o temperamento, que nasce com o animal, é modificado pela atuação de seus donos). Mas vale ressaltar a importância de se traçar, de forma correta, o perfil desse filhote e realizar através de orientação dos Veterinários a inserção competente e técnica desse animal na Nova Família, para prevenir a ocorrência de Desvios de Comportamento.

Como exemplo em Cães a Patologia de Ansiedade por Separação, onde o filhote é retirado da Mãe e Irmãos e inserido nessa Nova Família. Dependendo do perfil desse filhote, essa Patologia pode aparecer por erros de manejo dos proprietários, que não estimulam certa independência desse filhote, fazendo com que ele transfira a imagem da “Mãe Canina” para a “Mãe Humana”. Em relação aos filhotes felinos devemos estimular a socialização, desde cedo, para facilitar vínculo e controle. Em relação à adoção de cães de Abrigo ou de Rua devem ser enfatizados, além do perfil, os possíveis traumas que esses animais adquiriram durante suas vidas sofridas.

Neste caso, o tempo de adaptação pode ser maior e também, a Caridade desses donos em realizar adoção deverá ser complementada com uma grande dose de paciência para que os eventos traumáticos desses animaizinhos possam ser superados. Mas os resultados geralmente se mostram extremamente positivos com animais carinhosos e muito agradecidos pela Boa Ação de seus Donos.

No caso de troca de donos, deve ser respeitado um período de depressão e até rejeição do animal em relação aos Novos Proprietários. Os manejos devem ser bem orientados para sempre ganhar a confiança e vínculo com o animal, mas lembrando que devem ser evitadas ações dominantes por parte dele.

Em resumo, essa adaptação do animal a Nova Família, é de suma importância para futura qualidade de vida do animal e para existência de tranqüilidade e satisfação dessa Família. Esse Casamento deve ser o mais profícuo possível.